O crescimento eminente dos eventos virtuais e híbridos tem permitido que uma maioria de acontecimentos sejam transmitidos numa multiplicidade de ecrãs em todo o mundo, eliminando o “receio de não poder participar” entre potenciais participantes. E a transmissão ao vivo, enquanto complemento indispensável e uma das mais importantes ferramentas de vídeo para eventos virtuais, tem algumas finalidades de particular interesse para o alojamento e divulgação de vídeos corporativos. Para além de permitir transmitir webinars, workshops, conferências e sessões de formação a partir de qualquer parte do mundo, possibilita ainda a transmissão simultânea em múltiplas plataformas. E como a transmissão ao vivo está a tornar-se crucial para realizar eventos híbridos de sucesso em 2021 e no futuro, é altura de analisar o que os organizadores de eventos devem ter em consideração ao escolher um serviço de live streaming.

O que considerar ao escolher um serviço de streaming ao vivo?

1. Privacidade

Determinar se os seus vídeos vão ser de carácter privado ou público é provavelmente a consideração mais relevante a fazer e, por isso, merece o destaque de primeiro lugar. A partilha privada de vídeos é uma característica muito procurada pelos organizadores de eventos que pretendem partilhar vídeos para uso interno, enquanto que a transmissão pública está destinada a uma audiência que vai além dos visualizadores autorizados. Embora a maioria dos que recorrem a serviços de live streaming pretendam atingir audiências maiores, temos de considerar que nem sempre é esse o caso. Alguns exemplos de live streaming privado são as reuniões internas de empresas, eventos virtuais pagos, ou a transmissão de reuniões privadas entre equipas e colegas. E é aí que entra em jogo a funcionalidade de live streaming para eventos privados.

Se não estiver ciente disto, saiba que quando decide alojar um vídeo no YouTube ou no Vimeo, está consequentemente a dar autorização para que estas entidades utilizem o vídeo para outras finalidades, mesmo que este não esteja listado. Isto significa que, embora os direitos de autor sejam garantidos, são concedidos outros direitos ao YouTube e a outros utilizadores do serviço. 

Tipicamente, as plataformas de alojamento e partilha de vídeo têm o seu próprio conjunto de regras e regulamentos, de acordo com os seus termos de utilização. Assim, conheça mais sobre as licenças do YouTube e do Vimeo concedidas por si, e a sua duração, antes de decidir qual a melhor solução de transmissão ao vivo.

2. Captura, Processamento & Transmissão da Imagem

Assim que chegar à etapa da captação do momento, é essencial escolher o equipamento certo para a sua transmissão de vídeo e testar tudo com antecedência. Desta forma, estará a reduzir a probabilidade de ocorrência de imprevistos em tempo real. Mas, ainda mais importante, é definir e delegar responsabilidades. Planeie antecipadamente como irá capturar e tratar a sua imagem de vídeo, seja autonomamente através de webcams simples ou através de um estúdio profissional de streaming ao vivo.

Este diagrama de live streaming de eventos vai ajudar a compreender as decisões que terá de tomar:

Dica: Uma vez que a transmissão de eventos ao vivo levanta algumas questões sobre a produção de vídeo e processos de controlo de qualidade, recomendamos que nomeie um produtor de eventos virtuais, seja in-house ou externamente. O objectivo aqui é assegurar que alguém especializado coordene e estabeleça os elementos-chave dos seus eventos virtuais, incluindo layouts, características e design de engagement virtual. Por exemplo, se optar por fazer outsourcing do serviço, pode escolher uma agência de produção de vídeo, live streaming e criação de conteúdos. O importante aqui é entender que se quiser realizar eventos virtuais altamente envolventes e com produção de alta qualidade, vai precisar da mais recente tecnologia de vídeos e streaming ao seu lado. Portanto, pense estrategicamente sobre quem será responsável pela criação e tratamento do conteúdo a transmitir.

Não se esqueça também de definir quem ficará responsável pela edição do vídeo. Se assumir a tarefa internamente, saiba que existem estúdios virtuais que funcionam na cloud, como o StreamYard, que são de fácil utilização. Mas deve também considerar recorrer a uma agência de produção especializada na edição e codificação de sessões de live streaming, capaz de controlar as várias fontes de imagem, tempo, transições, traduções e áudio, de uma só vez.

3. Segurança

A fim de evitar tornar-se parte das estatísticas de violação de dados, é imprescindível escolher um serviço de live streaming com requisitos de privacidade e segurança profissionais. A proteção via palavra-passe é uma das formas mais básicas de segurança para a transmissão de eventos ao vivo, permitindo que só os visualizadores autorizados tenham acesso à mesma. Logo a seguir, vem a codificação AES (Advanced Encryption Standard) dentro dos recursos de segurança criptográficos mais comuns. 

Integrar uma solução de venda de bilhetes na gestão do seu evento é outra forma de manter o conteúdo seguro, exigindo aos participantes que paguem pelo acesso. Desta forma, irá gerar um fluxo de receita das suas transmissões ao vivo, o qual pode também ser rentabilizado através de subscrições e anúncios pagos. No entanto, é importante relembrar que quando há dinheiro envolvido a segurança do método de pagamento torna-se exponencialmente mais importante, por isso certifique-se de que a sua plataforma de live streaming utiliza a encriptação SSL para informações de pagamento.

4. Formato

Os formatos de vídeo têm a função de combinar e armazenar fluxos comprimidos de áudio e vídeo para transmissão à rede de distribuição de conteúdos e ainda para posterior distribuição aos utilizadores finais. Se quiser alcançar o maior número de ecrãs possível, considere adquirir uma plataforma de live streaming que aceite os ficheiros de formato de vídeo mais comuns. Quanto mais formatos de vídeo compatíveis, melhor. Alguns exemplos são AVI, MP4, MPG, WMV, MOV, QT, ASF, 3GP, WMA, MP3 e M4V.

5. Custos

Outra questão relevante é averiguar a existência de custos adicionais e, em caso afirmativo, se vale a pena suportá-los. Afinal, medir o sucesso em eventos virtuais está no topo das prioridades de qualquer organizador de eventos.

Neste contexto, algumas questões devem ser levantadas. Por exemplo, o seu evento tem uma audiência limitada ou pretende influenciar o maior número possível de visualizações? Por vezes, os fornecedores de serviços de live streaming cobram por visualizador, mas há sempre soluções no mercado com a melhor relação preço-qualidade ou mesmo sem restrições de tempo, número de visualizadores ou número de sessões. Por isso, certifique-se de que se mantém atualizado em relação às ofertas do mercado. 

6. Características técnicas

Algumas das características cruciais de uma plataforma de live streaming residem na capacidade de incorporar o conteúdo vídeo, de partilhá-lo nas redes sociais, e também na possibilidade de rentabilizá-lo (como já mencionámos). Ao mesmo nível estão as redes de fornecimento de conteúdo (CDN), que devem ser tão poderosas quanto possível, evitando más experiências de visualização e problemas técnicos que podem mesmo deitar abaixo a ligação à Internet. Ainda em relação a este ponto, é importante rever  questões como a localização e capacidade de armazenamento dos servidores de streaming.

Deve também procurar uma plataforma de live streaming que ofereça APIs simples, mas  suficientemente abrangentes, uma vez que a implementação de APIs é sempre uma boa oportunidade para criar experiências personalizadas. E como provavelmente o leitor de vídeo vai estar integrado no website da sua empresa, é importante que este seja um produto white-label. A presença de um logótipo de terceiros na exibição do vídeo não vai causar uma boa impressão e não vai transmitir profissionalismo.

Alerta: Normalmente, as plataformas de live streaming gratuitas vêm com muitas limitações, no que diz respeito a características de privacidade ou segurança. Mesmo se optar por plataformas reconhecidas, é bastante provável que se depare com direitos limitados aos conteúdos que está a transmitir, pelo que as suas transmissões de vídeo não são realmente suas. Estas plataformas são geralmente fáceis de utilizar, mas podem ser bastante restritivas. Obtenha informações confiáveis junto de fornecedores de tecnologia para eventos e tente encontrar um meio-termo que lhe dê a confiança necessária na gestão de problemas técnicos.

7. Analítica

Ler os resultados da análise do streaming de vídeo vai ajudar a sua equipa a melhor compreender a sua audiência online e o desempenho dos seus vídeos. A boa notícia é que também pode utilizar estes dados para planear futuros eventos em live streaming e a transmissão de outros conteúdos em formato vídeo. Certifique-se de que terá acesso a um dashboard final e também a análises em tempo real capazes de refletir indicadores tais como o consumo por tempo, visualizadores simultâneos por tempo, novas sessões de reprodução por tempo, gigabytes por tempo, reprodução e visualizadores por tempo, consumo por dispositivo, conteúdos com maior número de visualizações, e consumo por localização.

Nestes tempos de virtualidade, há certamente uma vasta gama de opções disponíveis quando se trata de soluções de live streaming profissionais. E com as pessoas cada vez mais atentas e colocando cada vez mais expectativas nas suas experiências virtuais, é um ponto crítico prestar atenção ao detalhe, avaliando as funcionalidades mais básicas, a capacidade de armazenamento dos servidores e a capacidade de suporte ao cliente na escolha da melhor plataforma de live streaming para eventos virtuais e híbridos.

Sabia que a plataforma de eventos virtuais da beamian inclui nativamente um serviço privado de live streaming, podendo igualmente funcionar com feeds de vídeo externos provenientes outras plataformas de alojamento de vídeo?

Fale connosco! Vamos mostrar-lhe como tornar os seus eventos virtuais mais profissionais através de um serviço de live streaming que afasta os problemas técnicos amadores.